Casa do Peregrino

 

30 VOTOS

Caminhar torna-nos mais saudáveis, felizes e inteligentes. Peregrinar permite-nos mais. Permite-nos recuperar o contacto, tanto com a Natureza, como com a nossa interioridade. A Peregrinação potencia o diálogo (connosco e com os outros), a partilha e o estreitamento relacional, numa Sociedade cada vez mais exigente, confinada e sem “pausas”. Peregrinar pelo Caminho Português de Santiago, pelo Caminho de Fátima ou pelo Caminho de S. Bento torna-nos mais soltos e descontraídos, mais tolerantes e compreensivos… mais felizes. Peregrinar aumenta a nossa auto estima, no sentido da aceitação e relativização das nossas limitações. Peregrinar é um dos Caminhos para a Felicidade. A Peregrinação está, desde sempre, associada à “nossa terra”. O “galego” da Lenda do Galo de Barcelos foi um dos milhares de Peregrinos que já percorreram o nosso território em Peregrinação. Potenciar o fenómeno da Peregrinação passa por dar apoio concreto e objetivo aos Peregrinos: passa, entre outros, por criar uma “Casa do Peregrino”. A “Casa do Peregrino” é um projeto que pretende ir muito para além da “obra física” que é “inaugurável”. A “Casa do Peregrino” é o guardião da Hospitalidade, que diferenciou o povo de Barcelos ao longo dos séculos, promovendo a Felicidade e o orgulho dos Barcelenses em receber gentes de todo o mundo. A “Casa do Peregrino” é um centro de apoio, informação e preparação de Peregrinos. A “Casa do Peregrino” é um projeto, no âmbito do Caminho Português de Santiago, do Caminho de Fátima e do Caminho de São Bento, para: • a promoção da Felicidade do Peregrino e da Comunidade, pela Hospitalidade desde sempre associada ao nosso território; • a proteção e valorização de todo o Património Cultural e Histórico, material e imaterial, existente ao longo dos itinerários que percorrem o concelho de Barcelos, potencializando a relação dos Peregrinos com os principais recursos do território, nomeadamente ativos culturais/patrimoniais; • a melhoria das condições de segurança ao longo dos percursos no concelho de Barcelos, nomeadamente na redução da probabilidade da ocorrência de pequenos delitos contra Peregrinos, com base na criação de um algoritmo de segurança que envolva a Proteção Civil, Autoridades Policiais e de Saúde e todos os que interagem, diariamente, com Peregrinos dos distintos Caminhos; • a criação de uma rede de comunicação interna entre entidades que lidam, diariamente, no concelho de Barcelos e nos concelhos limítrofes, com Peregrinos de forma a potenciar-se a identificação de necessidades de ações de limpeza, de segurança, manutenção da mobilidade e/ou da sinalização nos diversos Caminhos existentes no concelho de Barcelos; • a difusão local, nacional e internacional de ações/atividades (incluídas numa programação anual de atividades para Peregrinos e/ou para barcelenses) com a criação de uma Canal nas redes sociais relacionado com os principais itinerários de Peregrinação existentes no concelho de Barcelos (Santiago, Fátima e S. Bento). No âmbito da presente edição do Orçamento Participativo, salienta-se que o projeto associado à “Casa do Peregrino” enquadra-se, de forma inequívoca, em vários dos principais fatores definidos pela Rede de Soluções para o Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, nomeadamente: promove o desenvolvimento educacional para a inclusão social porque, de facto, o Caminho é para todos; preserva e promove os valores culturais; promove a igualdade de género e liberdade de pensamento; promove o desenvolvimento sustentável para a inclusão e potencialização do nível de vida. O presente projeto tem um orçamento previsto de 27 mil euros (IVA incluído).

Partilhar:

Referência do Projeto:

OPB Ref. 87/21


Custo Estimado:

até 30.000 €


Proponente:

Lúcio Abel Pereira Lourenço